Onde há medo, há caminho
Onde há medo, há caminho

Onde há medo, há caminho

Vou te fazer um convite: pense em algo que você fez e que te inspira orgulho por ter feito. Agora tente lembrar de um momento anterior ao fazer em si, quando esse ato era apenas um desejo, um plano.

Consegue se lembrar como se sentiu? Havia medo nesse momento pré-ação?

Nem sempre é fácil reconhecer o medo, ele muitas vezes aparece camuflado. Começamos a questionar nossas habilidades, a viabilidade das coisas e se as ideias valem a pena. Mas tirando as camadas, é ele que está lá, marcando presença.

Eu acredito que quando nos deparamos com ele, algo importante está em jogo. Afinal, medo e desejo andam lado a lado. E quando conseguimos reconhecer esse desejo e ir tirando da frente os julgamentos, podemos aos poucos enxergar um caminho.

A Coragem

Coragem tem a mesma origem da palavra cor e também coração. Justamente o órgão que está sempre bombeando cor por dentro de nós, empurrando movimento.

Como é passar do momento petrificante do medo e dar um passo a mais, mesmo que ainda em sua presença, para tentar algo diferente? Algo que, talvez, acelere nosso coração?

Bom, quem sabe é possível experimentar algo que depois nos sintamos orgulhoses. Que nos apresente sensações diferentes e que ficam marcadas em nossa jornada.

Não se trata de exterminar o medo, mas sim de reunir coragem para ouvi-lo.

Bianca Lauria

Formada em Relações Internacionais pela UNESP/Marília, trabalhou no projeto de extensão Universidade Aberta a Terceira Idade (UNATI), no qual percebeu que sua jornada profissional apontava para a relação direta com pessoas e seus processos de aprendizagem e desenvolvimento. Atualmente, estuda técnicas terapêuticas que consideram as dimensões física, mental, emocional e energética nos processos de adoecimento, cura e transformação.

Deixe um comentário